Introdução

O Grupo de Fotoquímica foi criado pelo Prof. Miguel G. Neumann ao redor de 1978 como um desmembramento do Grupo de Fisicoquímica Orgânica. A ideia básica que motivou esta separação foi que nesses anos ficou evidente a necessidade de buscar alternativas energéticas mais económicas e menos agressivas que os combustíveis fósseis. O aproveitamento de energia solar surgiu como uma das vias mais promissoras, sendo que a área de Fotoquímica poderia fornecer as bases científicas para o desenvolvimento de tecnologias de aproveitamento da luz.

Para poder fundamentar melhor as diretrizes iniciais do Grupo, o Prof. Miguel realizou inicialmente estágios de curta duração em Laboratórios estabelecidos de pesquisas avançadas em Fotoquímica como os do Max-Planck Institut für Strahlenchemie (Alemanha) e o National Research Council (Canadá).

Os primeiros estudos realizados pelo Grupo estavam relacionados com as fotorreações de corantes. Nesse momento o Laboratório contava apenas com um espectrofotômetro UV-vis e uma lâmpada para irradiação.

Aos poucos, o Laboratório foi incorporando mais equipamentos, sendo que foi adquirido o primeiro sistema de Flash Photolysis no pais. Também, no final dos anos 80 foram incorporados no Grupo sistema de Laser Flash Photolysis e Single Photon Counting, que conjuntamente com outros equipamentos mais convencionais constituíram o sistema de estudos de Fotoquímica mais completo no país.

Ao mesmo tempo, vários estudantes de Pós-Graduação realizaram suas atividades junto ao Grupo. Muitos deles após concluírem seus Mestrados e Doutorados, foram contratados por Instituições de nível superior. Dentre eles, devem ser mencionados os Professores Fergus Gessner, Marcelo H. Gehlen e Carla C. Schmitt, que se incorporaram ao Grupo de Fotoquímica, sendo que o Prof. Marcelo achou conveniente criar mais tarde um Grupo separado no âmbito do IQSC (Grupo de Fluorescência Molecular). A Professora Carla ingressou no Grupo como Técnica de Nível superior em 1995, mas logo, ganhou vaga de Professora em concurso realizado em 2010.

O Grupo, que iniciou seus estudos sobre fotorreações de corantes, foi progredindo no escopo de seus estudos ao longo do tempo. Como pode ser observado no esquema, cada novo tema abordado manteve uma relação com os até então estudados. Essa forma de avançar nas pesquisas é continuada até agora. Por outro lado, como também pode ser visto no esquema, vários dos estudos levaram a pesquisas de carácter mais aplicado como Materiais Dentários, desenvolvimento de compostos para Impressão 3D, nanopartículas com propriedades antibióticas, entre outras.

No esquema abaixo estão resumidas as líneas de pesquisa que foram abordadas pelo Grupo, assim como seu inter-relacionamento. Também estão indicados os assuntos com viés mais aplicado.